Prova da liderança não é clara e levanta suspeitas de manipulação



O BBB Crazy pode até surpreender nos quesitos emoção e novidades, mas as provas nunca foram tão questionáveis no reality show. Neste domingo (3), a luta pela liderança, conquistada por Kamilla, foi altamente manipulável. Deu a impressão que a Globo decidiu se redimir com a miss pela coroa roubada na última semana.

Após a eliminação de Marcello, os brothers se reuniram novamente na sala para uma prova de conhecimentos gerais. Sem nenhuma explicação prévia, devido à correria do programa, Pedro Bial pediu para que Nasser tirasse uma carinha de uma caixa. A sorteada Natália deveria então desafiar alguém e se esta pessoa acertasse a pergunta do apresentador, ela seria eliminada. E assim por diante.
Tudo lindo se não houvesse um disparate enorme no grau de dificuldade das perguntas. Para piorar, Bial não explicou que critério usaria para escolher a ordem das questões. Enquanto Andressa, por exemplo, foi questionada sobre o dia, mês E ano da abolição da escravatura, Fani teve que dizer quem descobriu o Brasil. O fato, obviamente, levou muita gente a reclamar nas redes sociais.
No embate final, que ficou entre André e Kamilla, a injustiça ficou ainda mais clara. “Quem é Edson Arantes do Nascimento (Pelé)?”, perguntou o apresentador à miss. Ela, claro, acertou.